Provérbios em Inglês e seus equivalentes em Português

If it ain’t broke, don’t fix it – “Em equipa que ganha não se mexe”

The early bird catches the worm. – “Deus ajuda quem cedo madruga”

Don’t make a mountain out of a molehill – “Não faças tempestade num copo d’água”

Losers weepers, finders keepers – “Achado não é roubado”

An idle brain is the devil’s workshop – “Cabeça vazia é oficina do diabo”

Better late than never. – “Antes tarde que nunca”

The apple never falls far from the tree. – “Filho de peixe, peixinho é”

If you can’t beat them, join them. – “Se não podes vencê-los, junta-te a eles.”

Out of sight, out of mind – “O que os olhos não vêem, o coração não sente”

Two’s company, three’s a crowd – “Um é pouco, dois é bom, três é demais”

Never put off till tomorrow what you can do today – “Nunca deixe para amanhã o que podes fazer hoje”

A bird in hand is worth two in the bush – “Melhor um pássaro na mão do que dois a voar”

The grass is always greener on the other side. – “Santo da casa não faz milagre”

The darkest hour is that before dawn – “Depois da tempestade vem a bonança”

Birds of a feather flock together – “Diz-me com quem andas que eu digo-te quem és”

All that glitters is not gold – “Nem tudo que reluz é ouro”

Actions speak louder than words – “Uma acção vale mais que mil palavras”

He laughs best who laughs last – “Quem ri por último, ri melhor”

It’s no use crying over spilt milk – “Não adianta chorar por leite derramado”

It takes two to make a quarrel – “Se um não quer, dois não fazem”

Don’t count your chickens before they are hatched. – “Não conte com os ovos no cú da galinha”

One swallow doesn’t make a summer – “Uma andorinha não faz o Verão”

Beauty is in the eye of the beholder – “Quem ama o feio, bonito lhe parece”

A closed mouth catches no flies – “Em boca fechada não entra mosca”

Cheapest is dearest – “O barato sai caro”

He who dares, wins – “Quem não arrisca, não petisca”

Time is money – “Tempo é dinheiro”

Kill two birds with one stone – “Matar dois coelhos com uma cajadada”

Laughter is the best medicine – “Rir é o melhor remédio”

Categories: Expressões | Leave a comment

Are Native English Speakers Really Better Teachers? (by Justin Murray)

  I’m an American English teacher living in Belo Horizonte, and after three years of teaching, it has become increasingly clear to me that the majority of Brazilians have a very strong belief that native speaking teachers are superior to non-natives/Brazilian teachers.

I’ve thought a lot about this, and even though I’ve really benefited from this, it has always seemed a bit strange to me. To be honest, the more I teach and learn about my strengths and weaknesses, the more this idea seems limited, and in some cases, absurd. It’s really much more complicated than people think.

This article will explore the “native vs non-native” topic from a balanced perspective, and it will attempt to separate fact from fiction. Are native speakers really better, and if so, in what areas and why? What are the advantages of being a non-native when teaching English?

Before anything, let’s clarify one fact.

The most important characteristic of any English teacher

The most important thing is not whether or not the teacher is native speaker or not, but rather if they have know how to teach to the level of their students, if it’s something they are passionate about it, and if they are willing to put the effort in to prepare a good class.

This is common sense.

Some people are naturally good teachers, while others need to work hard. Both types can be successful, but both demand preparation and the intention to help people learn. Having a high or even native proficiency helps a lot, but it’s not a substitute for work ethic and a genuine desire to do a good job.

Some teachers (both native and non-native speakers) have a natural ability and/or strong proficiency but simply don’t know how to teach (or are too lazy to learn). Apart from this, a native teacher is not a magical solution to your English learning problems. If you don’t have a strong desire to learn and dedication to your process, not even the best teacher in the world can help you.

With this said, what are the advantages of both native and non-native English teachers? Let’s start with the underrepresented advantages of being a non-native teacher, then explore what I feel to be the strong points of native speaking teachers, and I’ll tie them together at the end.

Advantages of being a Brazilian/non-native English teacher

The biggest advantage, without a doubt, that non-natives have is that they have consciously learned the language step by step and can guide their students through the labyrinth of confusion that they have already conquered. Native speakers, on the other hand, unconsciously inherit the language from theirs parents and often find themselves struggling to teach certain aspects of grammar or understand what students are going through.

In my case, I’ve learned/been learning languages for the past 8 years (Spanish first, and now Portuguese), and while this gives me immense insight into the language learning process, I still don’t know what it’s really like to learn English. Teachers who have learned the English language through their own blood, sweat and tears have a much greater ability to see through their students’ eyes via their own process.

In addition to understanding the student’s learning of English, a Brazilian English teacher will understand the student’s culture, and be able to cross-reference English through the eyes of Brazilian culture. A good example of this is how Lula is used to teach the “Th” sound in English (Bra-th-ileiros).

Another advantage is that non-native English teachers generally become teachers for reasons that suggest teaching ability and interest in the language. Most Brazilian teachers that I know teach because its something they feel motivated to do, something they enjoy, something they are good at, and something they have received professional training for.

Having a passion for what you teach is a priceless advantage because the teacher’s enthusiasm is totally contagious to not only the student, but other teachers too. I personally know (and learn A TON from) a handful of extremely talented Brazilian English teachers who are complete rock stars at what they do, and although they don’t have the native “brand” on their forehead, or a foreign accent when they speak Portuguese, their students learn from the best, and they learn fast, and they have fun doing it.

On the other hand, most native speaking English teachers I know are not English teachers by choice. They most often do it because they are living in Brazil (because they got married or are involved in other projects not related to teaching English). This is nothing against native speaking English teachers, who may enjoy teaching, and may love living in Brazil. It’s just that it is rarely a “lifelong passion” as it sometimes is for non-natives.

The point is that Brazilian English teachers have many significant advantages that are overlooked in favor of the exaggerated and often inaccurate idea that native speakers are simply far better teachers. That’s not to say that native speakers aren’t naturally better in some areas, but it’s important to have a balanced perspective and give Brazilian English teachers credit where credit is due.

Advantages of being a Native speaking English teacher

While it’s important to recognize the significant talents and advantages of non-native speaking English teachers, there are certain undeniable advantages to being a native speaking English teacher.

First of all, native speakers feel extremely comfortable using the language in a playful and dynamic way that can do a lot to facilitate learning. This takes the pressure off of the grammar and can make the learning experience much more authentic, light and fun.

A native speaker’s repertoire of vocabulary and expressions is going to be so much richer than a non-native can ever be. Of course there are impressive exceptions, but a native’s use of the language, and especially slang and the more dynamic aspects of the language (which are often deeply rooted in the culture) are nearly impossible to emulate by non-native speakers.

The exception though is the .01% of extremely gifted Brazilian learners/ teachers who have learned to use and teach certain aspects of the language that transcend grammar. I’ve only met a few of these teachers ever, but they can emulate a native speaker in not just following the grammar rules, but in breaking them, and then effectively teach it (which few books do). This is mastery that is beyond the scope of the native/ non-native question.

Another advantage about native speakers is that their students generally feel more motivated to speak in English in class. The fact that the teacher is from an English speaking country and not the country of the students generally works as an unconscious trigger for the student to speak the language. This may have nothing to do with the teacher’s proficiency or teaching ability.

The final advantage, which is the most popular, is that a native born teacher will teach or transmit much better pronunciation. This is for sure an advantage, but what a lot of people don’t know is that it’s difficult for beginners and lower intermediate students take advantage of this. In my opinion, upper intermediate and advanced students will benefit a lot more.

With hard work, good strategies, and a little effort, however, anybody can drastically improve their pronunciation without the help of a native teacher, or even by themselves.

Going beyond the Stereotypes

While it’s true that there are clear advantages and disadvantages to both native and non-native speaking English teachers, it’s important to recognize how complicated and full of misconceptions this topic is.

In my opinion, the perceived superiority of native speaking teaching abilities is greatly exaggerated and limited to only certain aspects of teaching, while the advantages of Brazilian teachers, which are many, are completely ignored.

What are your thoughts and experiences? Does Brazilian pop culture and English learning have a hard time valuing its own English teachers to the same extent as it does with native speakers? I would love to hear your ideas and different perspectives on this below.

About the Author: Justin Murray was born and raised in Seattle, Washington, but he currently lives in Belo Horizonte, Brazil. He is the founder of the hot new ESL blog, Real Life English.

Categories: Pronúncia | Leave a comment

A vida numa cultura que condena o erro

  Infelizmente não vivemos numa cultura que valorize o erro. Contraditoriamente as pessoas mais bem-sucedidas são aquelas que falharam várias e várias vezes (again and again), mas em algum momento acertaram em cheio.

Falhar faz parte da vida de qualquer um que quer se tornar um expert (em qualquer área). Eu aprendi mais com os erros do que com os sucessos. Boa parte do que sou hoje devo a críticas construtivas recebidas quando fui mal-sucedido. No entanto, alguns dos projetos que mais me orgulho de ter participado vieram depois de “falhas catastróficas”.

Ao estudar idiomas penso no seguinte, se eu estou a errar pouco é porque também estou a aprender pouco. O erro faz parte do processo de aprendizagem, afinal de contas, we learn by making mistakes!

Na adolescência eu pensava que era muito inteligente, ou que pelo menos estava acima da média. Acho (disse “acho” propositadamente) que todos jovens tem um pouco dessa prepotência. Graças aos erros eu descobri que não era o “menino prodígio” que os outros diziam e que para conseguir alguma coisa eu teria que me esforçar muito. Eu penso que o medo de errar expõe-nos e mostra-nos algumas verdades que talvez não quisessemos ver.

A Berghs School of Communication convidou no ano passado algumas personalidades para um debate sobre o medo de errar. A apresentação que mais marcou foi a do prestigiado designer gráfico norte-americano, Milton Glaser. Para quem não conhece, foi ele o responsável pela campanha “I Love NY” (lembram-se da -shirt?) Veja o vídeo:

Milton Glaser video on fear of failure

Tem medo de errar? Se sim, por quê? Comente!

That’s all for today. See you!

Categories: Sem categoria | Leave a comment

Expressões de TV: “Be on the move”

Hi everyone!
A expressão de hoje é “Be on the move”. Ela significa estar ativo, como a própria expressão indica, estar em movimento. Confira abaixo alguns exemplos.
•Bon Jovi’s new tour is on the move again. (A nova tour dos Bon Jovi está aí novamente.)
•He’s always on the move, I don’t know where he finds so much energy. (Ele está sempre ativo, não sei onde ele vai buscar tanta energia.)

Aguardo comentários com frases com a expressao apresentada hoje. Participe!

Categories: Sem categoria | Leave a comment

“Make sure”: descrição e usos

   Hoje vou falar sobre uma expressão que é muito usada e que acredito ser uma das melhores quando o assunto é relacionado a “ter certeza”, “garantir”, “certificar-se” e “verificar”. Confesso que uma das coisas que gosto mais de fazer é assistir filmes e em quase todos, a expressão “make sure” aparece vezes sem conta – até em desenho animado, acredite se quiser.

Quem estiver a pensar em traduzir “make sure” à letra, não vai obter traduções muito convincentes. “make” equivale a “fazer” e “sure” a “certo”, mas “fazer certo” não é uma opção que reflicta o real sentido da estrutura aqui em questão.

Leia as dicas que se seguem, para melhorar o seu inglês.

Vamos a alguns exemplos onde podemos fazer uso desta expressão.

  • Trancaste a porta? Acho que sim, mas é melhor ter certeza.
  • Primeiro, verifique se a impressora tem papel suficiente.
  • Vou contigo a tua casa para garantir que ninguém te vá aborrecer.
  • Eu quero garantir o meu futuro, por isso estudo muito.
  • Eles marcaram outro golo e garantiram a vitória.
  • A Espanha garantiu o lugar empatando com o Japão.
  • Ela olhou em volta para ter certeza que estava sozinha.
  • Eu acho que a porta está trancada mas vou me certificar disso.
  • A polícia estava lá para garantir que não haveria violência.

Agora, passando tudo isso para o inglês, temos as seguintes possibilidades:

  • Did you lock the door? I think so, but I’d better make sure.
  •  First, make sure the printer has enough paper in it.
  •  I’ll walk you home, just to make sure no one bothers you.
  •  I want to make sure of my future, so I’m studying a lot.
  •  They scored another goal and made sure of victory.
  •  Spain made sure of their place by holding Japan to a 1-1 draw.
  •  She looked around to make sure that she was alone.
  •  I think the door’s locked, but I’ll just go and make sure.
  •  Police were there to make sure there was no violence.

Ao começar a falar sobre “make sure”, mencionei o quanto encontrava esta expressão nos filmes que assisto. Para provar o que disse, vamos dar uma olhadela num trecho do filme “Equilibrium” onde esta expressão é utilizada.

-Brandt-

“Cleric… Why didn’t you leave that for the evidentiary team to collect and log?”

-Preston-

“They miss things sometimes. I’ll take it in myself… make sure it gets done properly.”

Antes de terminar o post de hoje, aí vai mais uma dica importante: coloque em prática o que acabou de aprender. Elabore frases com “make sure” relacionadas ao seu dia a dia e às situações onde possa vir a usá-la quando estiver a comunicar com alguém – seja pessoalmente, por e-mail, carta ou outra forma..

Well folks, make sure you get it. See ya next time! :)

Categories: Expressões | Leave a comment

Adjetivo Embarrassed: significados e exemplos

  Para quem gosta de estudar e aprender adjetivos novos, hoje temos uma dica interessante, a palavra embarrassed. Se ainda não a conheces ou não sabes como utilizá-la corretamente, estás no site certo.

Embarrassed é usado quando você está constrangido, com vergonha, “sem jeito” e coisas do tipo. O que podes não saber é que existem detalhes – formas a serem seguidas – para que este adjetivo seja bem aplicado. Estas formas quando não observadas podem passar uma ideia equivocada quanto ao real sentido de embarrassed – se comunicarmos de qualquer jeito, então, seremos entendidos também de qualquer jeito – e isso não é bom, pois não? Confiram a seguir.

Exemplos:

  1. I’m embarrassed asking them for help. (Eu tenho vergonha de pedir-lhes ajuda);
  2. He’s embarrassed talking about it. (Ele sente-se constrangido em falar sobre isso);
  3. Jane feels embarrassed doing this. (A Jane tem vergonha de fazer isto);
  4. I felt embarrassed going there. (Senti-me constrangido em ir lá);
  5. I’m too embarrassed to ask them for help. (Tenho demasiada vergonha para lhes pedir ajuda);
  6. He’s too embarrassed to talk about it. (Ele sente-se constrangido demais para  falar sobre isso);
  7. Jane feels too embarrassed to do this. (Jane tem demasiada vergonha para fazê-lo);
  8. I felt too embarrassed to go there. (Senti-me demasiado constrangido para ir lá).

Observações importantes

  • Tanto faz usar “to be” ou “to feel” nos exemplos acima – o sentido é o mesmo.
  • A diferença entre “embarrassed + verbo + ING” e “too + embarrassed + to + verbo” é a seguinte: a primeira forma(com ING) diz que, apesar de “teres vergonha”, podes vir a fazer determinada atividade. A segunda forma(com too) diz que “tens vergonha” a ponto de NÃO seres capaz de fazer – ou seja, o constrangimento é tão grande que te impede.

Não podemos deixar de falar do verbo “embarrass” que também é utilizado em contextos semelhantes aos do adjetivo relacionado a ele. Observem agora:

  • Hey, stop it. You’re embarrassing me. (Ei, para com isso. Estás a envergonhar-me);
  • Don’t embarrass us. (Não nos envergonhes);
  • It embarrasses him. (Isso deixa-o constrangido)

Espero que tenha sido útil. See ya guys!

 

Categories: Termos | Leave a comment

Expressões Americanas IV

Hi people! Hoje continuamos a falar sobre expressões americanas, vou mostrar-vos expressões muito comuns no inglês diário:

RISE AND SHINE – Levante e brilhe (quando você acorda alguém de forma carinhosa, encorajando a pessoa a ver a luz do sol como algo motivante..
Ex: “Good morning (good mornin’, mornin’) sweetheart (sweetie, honey), Rise and shine!
(Bom dia, querido(a), levante e brilhe!)
P.S.:Sweetheart, sweetie, honey, darling=são formas carinhosas e/ou românticas de se tratar alguém, seja amigo (muito próximo), pessoas da família ou parceiros (namorado(a), marido, esposa etc.)

MAKE SOMEONE’S HEART RACE – Fazer o coração de alguém bater mais forte.
Ex.: “I can’t wait for my boyfriend to call. Every time the phone rings, it makes my heart race.” (Mal posso esperar que o meu namorado ligue. Sempre que o telefone toca, o meu coração bate mais forte.)

MAKE EYES AT – Olhar para alguém com amor ou desejo.
Ex.: “Did you see James making eyes at Amanda last night? I think he really like her.” (Viste a forma com que o James olhou para a Amanda ontem à noite? Eu acho que ele gosta mesmo dela.)

GET (SOMEONE) – Comover, tocar uma pessoa emocionalmente.
Ex.: “This movie gets me everytime. I can’t watch it without crying like a baby.” (Emociono-me sempre que vejo este filme. Eu não consigo vê.lo sem chorar como um bébe.)

FREAKING OUT – ‘A ficar louco’, ficar fora de si, tendo fortes emoções..
Ex.: “I was freaking out after I crashed my car. I didnt know what to do!” (Fiquei maluco quando bati com o carro. Não sabia o que fazer!)

I DUNNO –  Eu não sei. É outra forma (gíria) de dizer I don’t know.
Ex.: “I dunno about it./Dunno anything about it.” (Não sei nada sobre isso.)

SING ALONG – ao escutar uma música, cantar ao mesmo tempo. Ou ao escutar alguém, cantar com ele.
Ex.: “When Slipknot is on the radio I always sing along!” (Sempre que toca na rádio Slipknot, eu canto também!)

GIRL NEXT-DOOR – Uma rapariga normal, simpática, comum, sem nada muito especial. Embora menos usual, também existe a expressão boy next-door.
Ex.: “Well, shes not a supermodel, but I like her even if she is just girl next-door.” (Bem, ela não é nenhuma super modelo, mas eu gosto dela, mesmo ele sendo apenas uma rapariga comum.)

STUCK IN ONES HEAD – Quando alguma coisa fica na cabeça, como uma música ou alguém.
Ex.: “This old song is stuck in my Head!” (Esta música antiga não me sai da cabeça!)

Espero que tenha ajudado pessoal. Até à próxima..

Categories: Expressões | 2 Comments

Schwa: um símbolo que ajuda a entender o Inglês Falado

Olá, pessoal! Hoje vou escrever um pouco sobre listening (escuta). Começando com uma comparação.

Na língua Portuguesa 5 sílabas exigem um certo tempo para serem pronunciadas, se aumentarmos para 10 sílabas o tempo vai ser quase o dobro. O mesmo não acontece no Inglês, tente pronunciar as frases abaixo enfatizando as palavras em negrito.

  • BOYS KISS GIRLS
  • The BOYS KISS GIRLS
  • The BOYS KISS the GIRLS
  • The BOYS will KISS the GIRLS
  • The BOYS will have KISSED the GIRLS

Se pronunciaste corretamente, percebeste que o tempo gasto para pronunciar a última frase foi praticamente o mesmo do tempo da primeira. Isto acontece porque o Inglês é um idioma onde o ritmo é muito valorizado. Por isso é que muitos portugueses sentem tanta dificuldade para entender um estrangeiro, o som fraco das palavras são muito difíceis de serem identificados para quem não tem um “ouvido treinado”.

Esse som fraco é tão importante que foi até baptizado com um nome: schwa. Agora perguntas, “O que é isso?”. Eu explico, tente identificar o som do er nas palavras brother e sister, este é o som de schwaEstima-se que até 17% de todos os sons da língua inglesa são pequenas variações do schwa.

Leia novamente as frases acima prestando atenção nas palavras sem negrito. Todas elas são variações do som de schwa, portanto interferem pouco no ritmo das frases.

Da próxima vez que você ouvir alguém falando Inglês, tente identificar os sons fracos (schwa), no dia em que te habituares a eles o teu listening irá melhorar muito.

That’s all folks..

Categories: Pronúncia | 1 Comment

A pronuncia correta do THE, OF e HAVE

Olá pessoal, a pronúncia de algumas palavras aparentemente simples às vezes causam uma maior confusão. Hoje vamos conhecer 3: the, of e have. Provavelmente já sabes, mas é sempre bom rever.

  • The – A pronuncia tradicional é /ðə/, onde o “ə” é o som de schwa, popularmente é como se fosse o som de “da”, esta pronúncia é utilizada somente antes de sons de consoantes, como no exemplo: “The book is on the table”. Quando o the está antes de sons de vogais a pronúncia muda para /ðiː/ , popularmente “di”. Veja o exemplo: The Umbrella.
  • Of – Para pronunciar corretamente essa palavra lembre-se da palavra “ovo” sem o último “o”. Fica algo como “ãv”. Se vc pronunciar o “f” vira outra palavra, “off”.
  • Have – Normalmente os portugueses pronunciam “év”, e os brasileiros “rév”. Sendo uma forma fácil de perceber de que país é nativo o falante. O correto é “hæve”, onde o “æ” é um misto entre o “a” e o “e”.

I hope that helps.. ;)

Categories: Pronúncia | Leave a comment

Expressões Americanas III

Expressões são frases ou palavras que não podem/devem ser traduzidas à letra, sob pena de se alterar completamente o significado da frase. Toda a gente sabe que o inglês falado nos EUA tem expressões muito diferentes do inglês falado no Reino Unido, assim como o castelhano da America do Sul é diferente do falado em Espanha.

Aqui têm a 3ª parte de uma série sobre algumas expressões mais utilizadas pelos americanos, que alguns ingleses desconhecem..

NOW AND THEN – É o nosso famoso “de vez em quando”. Portanto, se você estuda inglês, now and then é bom rever os seus conceitos, mais dia menos dia você vai precisar dele.

Exemplo: Now and then, I like to go to the countryside for some fresh air (Eu gosto de ir para o interior para respirar ar fresco de vez em quando).

ONCE IN A WHILE – É similar à expressão anterior. Às vezes é bom aprender várias formas de dizer a mesma coisa.

Exemplo: Once in a while John Locke likes to get away from the city and go to the countryside for a little relaxation (De vez em quando, John Locke gosta de se afastar da cidade e ir para o interior para relaxar).

NOT SLEEP A WINK – Esta expressão tem tudo a ver com esta ocasião, estou cheio de sono. Por conta das alterações aqui no blog I didn’t spleep a wink na última noite, ou seja, eu não preguei olho. Logo, eu acho que mereço uma boa noite de sono.

Exemplo: Last night i didn’t sleep a wink. So, now I think I’ll take a nap (Vou tirar uma soneca).

Veja aqui a parte 4.

That’s all for now. I hope that helps.

Categories: Expressões | 2 Comments

Create a free website or blog at WordPress.com. The Adventure Journal Theme.

Follow

Get every new post delivered to your Inbox.